Os artigos publicados no site da Rádio Taquara não refletem a opinião da emissora. A divulgação atende ao princípio de valorização do debate público, aberto a todas as correntes de pensamento.
Participe: jornalismo@radiotaquara.com.br
Publicado em 27/08/2021 15:10 Off

A VIDA

Hoje resolvi usar o espaço desta coluna para falar de uma coisa tão importante quanto os assuntos históricos, políticos e sociais que costumo tratar aqui. Resolvi falar sobre a vida, sobre a brevidade e o seu verdadeiro sentido. Sobreo que realmente importa; sobre as oportunidades e sobre os desperdícios.

Há algum tempo ouvi que se soubéssemos que em nossa vida é sempre um dia a menos e não um dia a mais, passaríamos a valorizar o que realmente importa. A gente costuma levar a vida ou deixar a vida nos levar, como diz a canção, sempre esperando por vivê-la realmente e intensamente amanhã; acreditando que amanhã será melhor; que as palavras que devem ser ditas podem ser pronunciadas amanhã; que poderíamos deixar nossos melhores sorrisos para amanhã; que tudo poderá ser resolvido amanhã. Só que não dá pra confundir a vida com consórcio, esperando para um dia ser contemplado com ela. Porque a verdadeira vida é hoje; porque o amanhã é sempre incerto, instável e passível de não existir.

Darcy Ribeiro dizia que “mais vale errar se arrebentando do que poupar-se para nada”. E eu concordo com o Darcy, não dá pra deixar a vida passar vivendo apenas o suficiente para morrer em segurança.

Deixe que te chamem de demasiadamente sensível, mas sejas um vivo em um mundo adormecido. Não esqueça que entre bagagens e cartões de crédito, o que importa realmente é a companhia. Manda texto apaixonado sim; canta alto no chuveiro sim; dance mesmo que a vida não seja a festa que você havia imaginado; aproveite as chances que aparecerem e deixe a frieza e a apatia para as estátuas. Não guarde silêncios, para que um dia seus arrependimentos não sejam as palavras que você deixou de dizer.

E lembre-se sempre que onde você não couber, você não deve se espremer. Lembre-se que você pode mudar, você não é uma árvore. Lembre-se que a cada dia vivido, já não somos mais os mesmos, que não seremos os mesmos jamais. E nunca, em hipótese alguma, deixe ir embora as pessoas que fazem seu mundo feliz, porque algumas vezes os milagres que pedimos vem em forma de gente!

Não esqueça que somos apenas instantes. Faça com que de hoje em diante cada dia seja o mais importante!

Por Ana Maria Baldo
Professora, de Taquara
[Leia todas as colunas]

>> Deixe sua opinião:
Os artigos publicados no site da Rádio Taquara não refletem a opinião da emissora. A divulgação atende ao princípio de valorização do debate público, aberto a todas as correntes de pensamento.
Participe: jornalismo@radiotaquara.com.br