Calçados Bibi é selecionada para participar da Expo 2020 Dubai, nos Emirados Árabes

A empresa foi pioneira no segmento calçadista a conquistar o Selo Diamante no programa Origem Sustentável, e conseguiu ser uma das participantes, dentro do distrito de Sustentabilidade.
Publicado em 01/11/2021 14:35 Off
Por Alan Júnior
Foto: Divulgação/Calçados Bibi

A Calçados Bibi foi uma das empresas selecionadas para apresentar o case de sustentabilidade na Expo 2020 Dubai, nos Emirados Árabes Unidos, entre os dias 02 e 05 de novembro. A marca foi pioneira no segmento calçadista a conquistar o Selo Diamante no programa Origem Sustentável, e conseguiu obter a recertificação no nível máximo neste ano. A qualificação tornou a rede que atua há 72 anos no mercado infantil a ser uma das participantes que integram o pavilhão Brasil, dentro do distrito de Sustentabilidade. A presença da Bibi e de outras marcas que atuam no mesmo setor foi organizada pelo Brazilian Footwear, programa de apoio às exportações de calçados, mantido pela Associação Brasileira das Indústrias de Calçados (Abicalçados), em parceria com a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil).

O evento consiste em um brunch com potenciais compradores das principais redes do varejo do Golfo Pérsico (GCC – Conselho de Cooperação do Golfo). Durante a iniciativa, estarão presentes mais de 30 compradores ou empresários locais, que ficarão por dentro dos projetos de Sustentabilidade da Bibi, que serão apresentados pelo líder deste segmento na Abicalçados. O pavilhão do Brasil está localizado dentro do distrito de Sustentabilidade e integrará os mais de 190 países que estarão representados nesta exposição, por meio de exposições, ativações de marcas brasileiras e espaços de experiência para fortalecer a imagem do País.

No caso da Bibi, por exemplo, a atuação é alavancada por ações norteadas pelos princípios de ESG (Environmental, Social and Governance). A rede utiliza diversos materiais na produção dos calçados, sendo os principais têxteis, couro de origem bovina, entre outros. Todos eles apropriam-se de conceitos sustentáveis, já que há o desenvolvimento de toda a cadeia produtiva pensando no bem-estar dos stakeholders, formados por clientes, fornecedores, comunidade, parceiros e do meio ambiente. No caso dos couros, trata-se de uma matéria-prima renovável. Neste quesito, a marca trabalha com 100% dos fornecedores de curtumes certificados dentro do padrão internacional LWG (Leather Working Group) e CSCB (Certificação de Sustentabilidade do Couro Brasileiro). Já em relação às embalagens feitas com papel reciclado, 100% das utilizadas são certificadas pelo FSC (Forest Stewardship Council) e pela B Corp, e com foco nos têxteis, há a utilização de fibras recicladas (poliéster) inclusive oriundo de garrafas pets.

Além disso, a Bibi investe nos conceitos de economia circular, praticando a logística reversa das matérias-primas, reutilização e reciclagem. Como citado anteriormente, todo couro é adquirido de fornecedores certificados e transformado em cabedais para calçados, sendo que o resíduo dos couros originados da pós-produção é transformado em adubo orgânico por meio de uma parceria com uma empresa multinacional italiana.

“Produzimos um cluster calçadista muito eficiente e sustentável, estendendo inúmeros benefícios aos clientes, como velocidade, inovação, diversidade de produtos, qualidade assegurada e sustentabilidade. Dessa forma, agregamos muito valor e diferenciação às operações com a produção nos dois parques fabris brasileiros. Um dos destaques é a utilização, o desenvolvimento e o monitoramento das matérias-primas e calçados dentro dos padrões mundiais de toxidade, por meio do Projeto Bibi Não Tóxico, que leva aos consumidores calçados livres de substâncias tóxicas. São 125 fornecedores e 2.650 materiais monitorados por coleção, para que todos os calçados sejam produzidos com materiais não tóxicos à saúde de crianças de 0 a 9 anos”, revela o gerente de suprimentos e Sustentabilidade da Bibi, Ismael Fischer.

A Bibi elabora com frequência o inventário de emissão de gases das operações industriais, faz a aquisição de energia elétrica oriunda de fontes renováveis, além de investir em projetos de conscientização ambiental junto aos stakeholders da marca. Por comprar energia de fontes sustentáveis, a empresa faz parte do Programa PERFIL Sustentável, que é pioneiro no Brasil em proporcionar reconhecimento pela contribuição ambiental e social proporcionada pelas empresas enquadradas no Mercado Livre, que compram energia de fontes alternativas. Seguindo uma metodologia aceita internacionalmente, o programa contabiliza os gases de efeito estufa (GEE) regulados pelo Protocolo de Quioto que deixaram de ser emitidos pela marca, certificando-a com o selo PERFIL Energia + Limpa. Desde que está no Mercado Livre, a rede já deixou de emitir 1.322,717 (tCO2e) na atmosfera, o que corresponde ao plantio equivalente de 3.422 árvores.

“Nas operações industriais, desenvolvemos projetos visando otimizar recursos que são realizados rotineiramente, como a redução da geração de resíduos industriais e de consumo de energia elétrica, e a substituição de adesivos a base de solvente por adesivos base de água. Já com relação ao varejo e aos consumidores, se torna mais forte a tendência de elaboração de produtos com conceitos sustentáveis, utilizando processos e matérias-primas diferenciadas. Como é o caso do Bibi Eco, que tem grande parte dos componentes reciclados. O solado é fabricado em TR transparente com serragem e o cabedal produzido a partir de garrafas PET. O processo de colagem é feito com cola base de água, assim como em todas as linhas. O tênis é seguro e fácil de calçar, tem um engate produzido em ECO WPC, matéria-prima composta em 20% por cascas de arroz e tiras de PVC renovável de fibras de bambu”, explica Fischer.

A Bibi também promove inúmeras ações sociais junto à comunidade, como a doação de máscaras e calçados em diferentes locais, principalmente nas regiões onde atua com as suas unidades fabris, em Parobé (RS) e Cruz das Almas (BA, proporcionando boas lembranças com a doação de calçados para bebês recém-nascidos nas maternidades de hospitais públicos.

>> Deixe sua opinião: