Geral
  UNANIMIDADE

Câmara de Vereadores de Parobé aprova política de conscientização sobre Lei Maria da Penha

Prédios, condomínios, estabelecimentos e repartições públicas ficam obrigados a afixar placas com números de contato para eventuais denúncias.
Plenário da Câmara de Parobé. Foto: Divulgação/Matheus de Oliveira

Foi aprovado pelo Plenário da Câmara de Parobé o projeto de lei que determina a divulgação de informações sobre a Lei Maria da Penha e números de contato para eventuais denúncias. A proposta, apresentada pelo vereador Betinho (PDT), recebeu voto favorável de todos os parlamentares.

O texto diz que prédios, condomínios residenciais, estabelecimentos comerciais e repartições públicas ficam obrigados a afixar placas ou cartazes contendo as seguintes informações: número da Lei Maria da Penha (Lei 11.340, de 7 de agosto de 2006); o número de telefone da Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher; Disque Denúncia e o número de telefone da Brigada Militar para denúncias de violência contra a mulher.

“Vemos aí as barbaridades que acontecem na comunidade e, muitas vezes, por falta de informação, de recursos e de conhecimento, acabam acontecendo desastres familiares. É um projeto que vem para auxiliar a família que não tem esse conhecimento”, defendeu o autor da proposta. 

A partir da publicação da legislação, os locais terão prazo de 60 dias para adaptação, sob pena de advertência e multa. 

Maria da Penha

A Lei Maria da Penha foi sancionada em 7 de agosto de 2006. Com 46 artigos distribuídos em sete títulos, ela cria mecanismos para prevenir e coibir a violência doméstica e familiar contra a mulher em conformidade com a Constituição Federal (art. 226, § 8°) e os tratados internacionais ratificados pelo Estado brasileiro.