Geral
  REVITALIZAÇÃO

Canteiros históricos de Taquara são revitalizados e entregues à comunidade

Foram mantidos 13 canteiros, entre as ruas Júlio de Castilhos e Dr. Edmundo Saft
Fotos: Cleusa Silva/Rádio Taquara

Localizados no trecho entre as ruas Júlio de Castilhos e Dr. Edmundo Saft, nas proximidades da Praça Marechal Deodoro, da prefeitura e da Casa Vidal, no Centro, os canteiros históricos de Taquara recentemente passaram por um processo de revitalização, sendo entregues à comunidade na manhã desta quarta-feira (27).

Dos 14 canteiros de pedras portuguesas, instalados no local na década de 1930, um foi retirado ainda em 2019. Ele ficava no cruzamento das ruas Dr. Edmundo Saft e General Emílio Lúcio Esteves. Pois quando construíram os canteiros não havia a rua General Emílio Lúcio Esteves e, com a abertura, o canteiro ficou em local impróprio atrapalhando a passagem de veículos.

Durante a solenidade de entrega dos canteiros, realizada no largo da Praça Marechal Deodoro, a prefeita Sirlei Silveira fez um agradecimento especial as taquarenses Ana Lúcia Holmer Bauer Schweitzer e Michele Biason, que apresentaram o projeto de restauração e destacaram a importância do projeto, simples e ao mesmo tempo tão importante para a história do Município.

“Se não existisse pessoas como vocês, Ana e Michele, apaixonadas pela história e pelo seu resgate, nós nos acomodaríamos. E político precisa ser desacomodado. Eu te agradeço e aceito todos os desafios que vier a me apresentar, porque tu tens visão. E esse projeto, assim como todos os outros do nosso governo, foi feito ouvindo as pessoas. Aquelas que nos trazem ideias e soluções”, destaca a prefeita de Taquara.

Presente durante a solenidade, Ana Lúcia reforçou a importância da comunidade estar envolvida nos projetos da cidade e agradeceu o empenho da prefeita Sirlei e do secretário de Planejamento, Habitação, Segurança, Mobilidade e Trânsito, Luciano Campana, que não mediram esforços para que o projeto fosse tirado do papel.

“A comunidade em geral, assim como eu, deve participar de algumas investidas. E esses canteiros, para mim, são tão simples e tão lindos. É um resgate de 1930, na frente da CICS [Câmara da Indústria, Comércio e Serviços], único prédio estadual tombado aqui em Taquara. Quero aqui fazer um agradecimento a vocês, Sirlei e Luciano, pela dedicação que resultou nesta obra tão linda para nossa cidade”, falou a taquarense.
Conforme a prefeitura de Taquara, para este restauro foram investidos R$ 47.532,20, advindos de recursos próprios da Administração Municipal

A restauração

Os canteiros foram restaurados replicando o projeto original composto de canteiros retangulares de aproximadamente 13 metros de comprimento e dois metros de largura; pedras portuguesas nas cores chumbo, preto e branca, sendo uma margem lateral em tom chumbo, duas flores de liz branca em cada ponta (entre a extremosa e a azaleia) e os demais preenchimentos na cor preta. Foram mantidas uma árvore extremosa ao centro de cada canteiro e azaleias em cada uma das laterais.

As extremosas são árvores originais da época, com altura de até cinco metros, forma arredondada, de folhas pequenas ovais que no outono tomam a cor avermelhada. As flores são pequenas nas cores branca, rosa-claro, rosa-forte e vermelhas. Floresce a partir de novembro, permanecendo em floração até final do verão e as azaleias árvores de até dois metros de altura com flores rosas.