Coronavírus: o novo vírus surgido na China que já fez mais de 7,7 mil infectados e 170 mortos; no Brasil 9 casos são suspeitos

Novo Coronavírus (2019-nCoV): o que é, transmissão, sintomas, diagnóstico, tratamento e prevenção
Publicado em 29/01/2020 22:32 | Atualizado em 31/01/2020 17:05 Off
Por Alan Júnior
O nome Coronavírus foi dado devido à sua imagem ser parecida com a de uma coroa.
Imagem: Site Uol

O Ministério da Saúde realizou uma coletiva de imprensa, na tarde desta quarta-feira (29), para informar detalhes sobre casos do Novo Coronavírus registrados no Brasil até o momento. De acordo com o órgão foram 33 notificações, destas 20 foram excluídas e 4 descartadas, restando 9 casos suspeitos nos estados de Minas Gerais (1); Rio de Janeiro (1); Santa Catarina (2); São Paulo (3); Paraná (1) e no Ceará (1).

Já no Rio Grande do Sul, durante esta quarta-feira, duas suspeitas de infecção do Coronavírus foram levantadas em Novo Hamburgo e São Leopoldo, no Vale dos Sinos, porém, após exames, foi confirmado que se tratava de casos da gripe H1N1, que possui sintomas bem parecidos. Nenhum dos casos foi confirmado.

Na China, foram 170 mortes confirmadas até a noite desta quarta-feira, segundo a agência de notícias francesa, France Presse. A maioria das mortes ocorreu na província de Hubei, onde fica a cidade de Wuhan, epicentro do surto. Conforme a agência estatal chinesa CGTN, foram confirmados 7.736 casos da doença, com 162 mortes apenas na província.

Pacientes infectados com o Coronavírus na China.
Foto: Jornal El País

Mas o que é o novo coronavírus?

De acordo com o Ministério da Saúde, esse é um novo vírus que tem causado doença respiratória pelo agente coronavírus, com casos recentemente registrados na China. Importante saber que os coronavírus são uma grande família viral, conhecidos desde meados de 1960, que causam infecções respiratórias em seres humanos e em animais. Geralmente, infecções por coronavírus causam doenças respiratórias leves a moderadas, semelhantes a um resfriado comum.

Quais as formas de transmissão?

As investigações sobre transmissão ainda estão em andamento, mas a disseminação de pessoa para pessoa, ou seja, a contaminação por contato está ocorrendo. É importante observar que a disseminação de pessoa para pessoa pode ocorrer de forma continuada. A transmissão dos coronavírus costuma ocorrer pelo ar ou por contato pessoal, através de:

  • gotículas de saliva;
  • espirro;
  • tosse;
  • catarro;
  • contato pessoal próximo, como toque ou aperto de mão;
  • contato com objetos ou superfícies contaminadas, seguido de contato com a boca, nariz ou olhos.

Sintomas

Os sinais e sintomas clínicos são principalmente respiratórios, semelhantes a um resfriado. Podem, também, causar infecção do trato respiratório inferior, como as pneumonias. Os principais sintomas são:

  • Febre.
  • Tosse.
  • Dificuldade para respirar.

Diagnóstico e tratamento

O diagnóstico é feito com a coleta de materiais respiratórios (aspiração de vias aéreas ou indução de escarro). É necessária a coleta de duas amostras na suspeita do coronavírus. As duas amostras serão encaminhadas com urgência para o Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen). Para confirmar a doença é necessário realizar exames de biologia molecular que detecte o RNA (ácido ribonucleico) viral.

Já em relação ao tratamento, ainda não existe algo específico para infecções causadas por humanos. No caso do novo coronavírus é indicado repouso e consumo de bastante água, além de algumas medidas adotadas para aliviar os sintomas, conforme cada caso, como, por exemplo:

  • Uso de medicamento para dor e febre (antitérmicos e analgésicos).
  • Uso de umidificador no quarto ou tomar banho quente para auxiliar no alívio da dor de garanta e tosse.

Como prevenir?

O Ministério da Saúde orienta cuidados básicos para reduzir o risco geral de contrair ou transmitir infecções respiratórias agudas, incluindo o novo coronavírus. Entre as medidas estão:

  • evitar contato próximo com pessoas que sofrem de infecções respiratórias agudas;
  • realizar lavagem frequente das mãos, especialmente após contato direto com pessoas doentes ou com o meio ambiente;
  • utilizar lenço descartável para higiene nasal;
  • cobrir nariz e boca quando espirrar ou tossir;
  • evitar tocar mucosas de olhos, nariz e boca;
  • higienizar as mãos após tossir ou espirrar;
  • não compartilhar objetos de uso pessoal, como talheres, pratos, copos ou garrafas;
  • manter os ambientes bem ventilados;
  • evitar contato próximo a pessoas que apresentem sinais ou sintomas da doença;
  • evitar contato próximo com animais selvagens e animais doentes em fazendas ou criações.

Profissionais de saúde devem utilizar medidas de precaução padrão, de contato e de gotículas (mascára cirúrgica, luvas, avental não estéril e óculos de proteção).

Fonte: Ministério da Saúde e G1

>> Deixe sua opinião: