Geral
  MEIO AMBIENTE

Escolas de Taquara revelam suas hortas escolares para a Quinzena do Meio Ambiente

Temperos, legumes, verduras e chás são cultivados pelos estudantes de cada unidade de ensino
Fotos: Ruan Nascimento/Prefeitura de Taquara

As 45 escolas de Taquara que contam com a Comissão de Meio Ambiente e Qualidade de Vida na Escola (Comvida) estão apresentando suas hortas para a comunidade, através das redes sociais. A iniciativa recente integra a ação “Educando com as Hortas Escolares”, que é uma das atividades da Quinzena do Meio Ambiente, que começou na segunda-feira (30) e seguirá até o dia 11 de junho.

Conforme a prefeitura de Taquara, cada escola tem a sua própria horta, que fica sob a responsabilidade dos alunos das Comvidas, que são grupos de alunos que organizam ações de proteção ambiental nas escolas que fazem parte da iniciativa.

De acordo com a coordenadora ambiental da Secretaria Municipal de Educação, Cultura e Esporte (Smece), Luciana Martins, essa iniciativa já existe há alguns anos no Município, nas 42 escolas municipais e nas três escolas estaduais que têm uma Comvida.

Para a Quinzena do Meio Ambiente, as unidades de ensino destacaram suas plantações, em um trabalho da Educação Ambiental com o Programa Saúde na Escola.

“Os alimentos que são produzidos nas hortas voltam para os alunos e, em alguns casos, para suas famílias, dependendo da escola. Com o trabalho de divulgação desta semana, a equipe de nutricionistas da Smece e da Secretaria de Saúde vão verificar as plantas cultivadas em cada escola, e no segundo semestre, farão um trabalho nutricional de acordo com o plantio de cada escola”, explica Luciana.

A prefeita Sirlei Silveira ressalta a importância deste trabalho feito pelos alunos, que aprendem na prática sobre os estágios de cultivo de cada alimento ou tempero.

“Cada escola desenvolveu sua horta de acordo com seu espaço e suas necessidades. É uma grande iniciativa desenvolvida, na qual os pequenos podem mexer com a terra e terem conhecimento sobre como é ter uma alimentação saudável com produtos orgânicos”, comenta a prefeita de Taquara.

Na Escola Municipal de Ensino Fundamental (EMEF) Zeferino Vicente Neves Filho, no Distrito de Pega Fogo, a horta já está em funcionamento há alguns anos. A diretora Joice Camargo lembra que, anualmente, a horta escolar é revitalizada, tendo o plantio constante de alface, repolho, beterraba, vários tipos de temperos e chás.

“Recentemente, tivemos uma ação muito legal na escola, em que os alunos foram servidos com sanduíches em que a alface foi colhida aqui. Todo o alimento que as crianças cultivam volta para a alimentação escolar”, conta Joice.

A iniciativa também é destacada pelos alunos. A estudante Agatha Mattos Mello, de 10 anos, está na Comvida da escola desde o início deste ano, e gosta bastante do contato com a natureza.

“Acho legal plantar as verduras e legumes que comemos aqui na escola. Gosto de mexer na terra. É sempre uma experiência boa estar aqui na horta”, lembra a aluna da EMEF Zeferino Vicente Neves Filho.

Hortas verticais onde há pouco espaço de terra

Inaugurada neste ano, no Centro, a Escola Cívico-Militar teve sua horta criada recentemente. Por estar situada em um prédio com pouco espaço para o plantio, a solução na unidade de ensino foi implantar uma horta vertical, com vasos feitos de garrafas pet e pendurados nas paredes de entrada. O trabalho foi desenvolvido por alunos do nono ano do Ensino Fundamental.

“Foi uma ação importante, pois desperta o lado social dos alunos e ainda serve de incentivo para que eles se preocupem com o meio ambiente”, conta a professora Luisa da Silva, que foi uma das docentes que propôs a iniciativa.

Os estudantes João Vitor Fagundes e Mateus Apolinário foram alguns dos que atuaram no desenvolvimento da horta vertical.

“Como foi uma ação recente, as mudas ainda estão crescendo. Foi uma iniciativa proposta pela nossa turma porque gostamos de atuar com sustentabilidade”, conta João.

Mateus complementa destacando a importância da ideia, já que os temperos e chás plantados serão usados na própria escola.

“Com o que aprendemos aqui, aproveitei para fazer uma horta vertical também na minha casa. É uma ideia muito bacana, que pode também ser replicada por pessoas que moram em apartamentos”, salienta.