Especialista do Senac Taquara destaca a importância de traçar metas na vida pessoal e profissional

Lidiani Lehnen recomenda fazer a organização em “mini metas”, por etapas e com tempos pré-determinados, independentemente do objetivo.
Publicado em 03/08/2021 14:53 Off
Por Vinicius Linden

Já ouviu falar naquela frase “para quem não sabe aonde está indo, qualquer lugar serve”? O ditado popular demonstra a importância de estabelecer metas para alcançar objetivos. Para chegar nesses resultados estipulados durante planejamentos na vida pessoal ou profissional, saber o objetivo final de forma clara e os passos para conseguir chegar lá são formas essenciais para alcançá-los.

A docente da área da Comunicação do Senac Taquara Lidiani Lehnen cita a metodologia SMART, que diz que as metas devem ser: Specific (específica), Mensurable (mensurável), Attainable (atingível), Relevant (relevante) e Time based (temporal). “Para ter mais clareza sobre o que se deseja e as possibilidades reais para alcançar, devemos nos perguntar: qual é a minha meta? É possível medir/mensurar? É atingível ou algo impossível? É realmente importante para mim? Qual o prazo limite para a realização?”, indica.

Lidiani recomenda fazer a organização em “mini metas”, por etapas e com tempos pré-determinados, independentemente do objetivo. Por exemplo: se o indivíduo realiza um curso de 100 horas e tem três meses de prazo para terminar. Ele deverá estipular quanto tempo de estudo precisará por semana, quais dias conseguirá realizá-lo, quantas horas de cada dia precisará para conseguir cumprir. “Da mesma forma se eu quero comprar algo: preciso de quanto de dinheiro? Em quanto tempo eu quero adquirir esse bem? Quanto eu preciso guardar a cada mês? Se não é possível guardar tudo aquilo, posso estender o prazo a partir do quanto eu consigo guardar? Qual o meu novo prazo final e valor mensal? E assim por diante”, orienta.

A docente considera essencial celebrar as etapas. No caso de metas maiores, de longo prazo ou mais caras, é normal se auto sabotar, pensando que “falta muito” ou “acho que não vou conseguir”, frustrando-se. “Se tivermos essas ‘mini metas’, ao alcançá-las, é importante celebrar. Dessa maneira, não fica toda a alegria para o final e o processo se torna mais leve”, ressalta.

Tão importante quanto traçar as metas é fazer o acompanhamento delas e estar aberto a mudanças, se assim for necessário. Mudanças nas prioridades, segundo Lidiane, são normais. “Pode acontecer uma mudança de trabalho inesperada, uma gravidez ou mesmo uma demissão. E, talvez, aquelas metas traçadas anteriormente não possam mais ser alcançadas por enquanto e, consequentemente, precisam de ajustes ou deixam de ser prioridades para o momento”, comenta.

>> Deixe sua opinião: