Exposição “Memórias da Africanidade” segue para visitação até sexta-feira (3/12) no saguão da prefeitura de Taquara

O evento é promovido pela Smece, através da Diretoria de Cultura e do Museu Municipal Adelmo Trott.
Publicado em 25/11/2021 14:26 | Atualizado em 26/11/2021 09:18 Off
Por Alan Júnior

Solenidade oficial contou com apresentação de alunos da EMEF 25 de Julho.

Foto: Cris Vargas/Prefeitura de Taquara

Quem ainda não prestigiou a exposição “Memórias da Africanidade” tem até a próxima sexta-feira (3/12) para conferir o trabalho dos alunos que integram o projeto “Memórias da Africanidade: a contribuição da comunidade afrodescendente na História de Taquara-RS a partir dos olhares dos educandos taquarenses e do Museu Municipal Adelmo Trott”. Desde o dia 17 de novembro, a exposição está para visitação no saguão da prefeitura, seguindo o horário de expediente. O evento é promovido pela Smece, através da Diretoria de Cultura e do Museu Municipal Adelmo Trott.

A solenidade oficial ocorreu, na quarta-feira (24), com a presença da prefeita Sirlei Silveira, da secretária de Educação, Cultura e Esportes (Smece), Carla Silveira, e demais autoridades municipais e contou com a apresentação de estudantes do sexto ano da Escola Municipal de Ensino Fundamental 25 de Julho, sob orientação da professora Letícia Nerbas, que apresentaram a dança típica africana Makulelê. “Foi encantador ver o envolvimento dos alunos e também das professoras com a preservação da identidade e cultura afrodescendente em nosso Município, uma pauta muito importante que deve ser mantida, discutida e estudada em toda a rede municipal de ensino”, observou a prefeita Sirlei, durante a solenidade oficial do evento.

O projeto teve a adesão das escolas municipais e Ensino Fundamental Antônio Martins Rangel, Caramuru, Júlio Maurer, Luís Böes, Nereu Wilhelms, Rosa Elsa Mertins, Rudi Lindenmeyer; 25 de Julho e do Colégio Municipal Theóphilo Sauer. “Agradecemos imensamente aos diretores, professores e estudantes das escolas que abraçaram mais que uma ideia, uma causa tão importante como o respeito e a valorização de um grupo étnico, a nossa comunidade afrodescendente de Taquara”, destacou o historiador do Município, Maicon.

>> Deixe sua opinião: