Internautas dizem que trânsito melhorou sem cobrança de estacionamento em Taquara

Enquete foi realizada a página do Facebook do Jornal Panorama.
Publicado em 24/02/2018 18:53 | Atualizado em 25/02/2018 19:18 Off
Por Vinicius Linden

Parquímetros estão desativados no Centro de Taquara. Foto: Arquivo/Panorama

O Jornal Panorama promoveu em sua página no Facebook, no decorrer desta semana, uma enquete sobre o período em que está suspensa a cobrança de estacionamento rotativo no Centro de Taquara. Os internautas foram questionados se o trânsito melhorou ou piorou. Para 60%, dos 308 votantes, houve melhora. Já 40% entenderam que ficou pior trafegar na área central. O estacionamento rotativo está suspenso em Taquara desde o dia 1º de fevereiro, após o encerramento do contrato mantido pela Prefeitura com a Rek Parking, a empresa que, até então, operava a cobrança.

Recentemente, o prefeito Tito Lívio Jaeger Filho falou sobre o assunto em seu programa semanal na Rádio Taquara. Na ocasião, reforçou que a administração está firmando parceria com uma entidade local a fim de assumir a operação do estacionamento rotativo. O prefeito disse, no entanto, que a zona azul é necessária como uma medida para organizar o trânsito na área central. Inclusive, Tito anunciou que a prefeitura trabalha com a ideia de expandir o estacionamento para mais ruas.

No Facebook, houve, também, comentários a respeito das mudanças. Para Débora Paixão, é ruim a cobrança, mas os lojistas deveriam se conscientizar que os clientes precisam estacionar para irem nos estabelecimentos e não deixarem seus carros estacionados o dia todo na rua Júlio de Castilhos. Segundo ela, “está terrível encontrar uma vaga”, acrescentando que, pela manhã e à tarde, estão “sempre os mesmos carros estacionados”. Lú Möller sugeriu que o novo sistema implantado seja o mesmo de Parobé, em que quando o motorista não utiliza todo o tempo que pagou, fica o crédito em sua placa.

Graziele Coelho opinou que piorou. “Não se encontra lugar para estacionar! Para ir no Centro, tive que estacionar atrás do Fogão Gaúcho e fazer a Júlio toda a pé. Estou gestante de oito meses, quase ganhando, dei cinco voltas e nada de lugar na Júlio pra estacionar. As pessoas se aproveitam da situação, que volte logo o estacionamento rotativo!”, desejou. Laura Ostrowski Fontoura concorda, dizendo que não consegue estacionar em lugar nenhum na rua Júlio de Castilhos.

Iara Alves não concordou, dizendo que foi levar sua filha no oculista e pagou alguns minutos do tempo e recebeu uma multa de R$ 154,00. “Cadê o direito de ir e vir”, perguntou. Para Renata Vieira Martins, o trânsito melhorou no Centro, parecendo mais ágil. Outros comentários entenderam que a cobrança seria incorreta e alguns comentários defenderam que, se o estacionamento é cobrado, em caso de furto do veículo deveria haver ressarcimento.

 

>> Deixe sua opinião: