João Pires diz que recuo na reforma da Previdência foi “vitória do movimento sindical”

Avaliação é do presidente do Sindicato dos Sapateiros de Parobé.
Publicado em 23/02/2018 00:09 Off
Por Vinicius Linden

O presidente do Sindicato dos Sapateiros de Parobé, João Nadir Pires, avaliou, nesta semana, o recuo do governo federal na votação do projeto de Reforma da Previdência. Para ele, a desistência do governo Michel Temer (PMDB) em dar sequência ao projeto neste ano “é uma vitória do movimento sindical e dos trabalhadores”. A reforma da Previdência saiu da pauta após a União decretar intervenção federal na segurança pública do Rio de Janeiro. Com estas intervenções em andamento, mudanças na Constituição não são permitidas, o que impede o governo de promover as alterações na Previdência.

Para João Pires, o recuo se deu “graças à pressão do movimento sindical, das centrais e sindicatos nos deputados”. “Nossa pressão fez a diferença, mas não podemos esmorecer e imaginar que a proposta será engavetada. É preciso ficar de olho”, alertou. A última manifestação conjunta das centrais sindicais contra o projeto aconteceu nas capitais na segunda-feira (19). “Realizamos atos e manifestações de protesto permanentes em locais de grande movimento, onde circulam os deputados federais e, especialmente, aqueles que já prejudicaram os trabalhadores na aprovação da Reforma Trabalhista. Conseguimos com que alguns recuassem e, em consequência, o governo não teve o número suficiente de parlamentares para votar o projeto”, destaca Pires.

Além de pressionar diretamente os parlamentares em suas bases eleitorais, Pires comenta que o movimento sindical espalhou cartazes, placas e painéis com as fotos dos parlamentares que já haviam votado a favor do governo a Reforma Trabalhista.

>> Deixe sua opinião: