Os artigos publicados no site da Rádio Taquara não refletem a opinião da emissora. A divulgação atende ao princípio de valorização do debate público, aberto a todas as correntes de pensamento.
Participe: jornalismo@radiotaquara.com.br
Publicado em 31/01/2020 14:16 | Atualizado em 31/01/2020 14:17 Off

Para quem tem lugar
fixo neste mundo

Me causa estranheza pessoas que têm (e necessitam possuir) lugar fixo na mesa de refeições. Sentem-se desrespeitadas ou ameaçadas em seu poder, quando alguém inadvertidamente tem a ousadia de ocupar o lugar fixo que o cosmo lhes destinou na cozinha ou na sala de jantar.

Outros seres regrados deste estranho mundo precisam ter horários rígidos para refeições. Se acontece de tomarem um café da manhã tardio, o que é raro porque costumam levantar da cama no mesmo horário sempre (domingos inclusive), ainda assim acham que hora de almoço é ao meio-dia em ponto, mesmo que o desjejum tenha ocorrido às 10h30min.

E quanto a fazer sempre o mesmo percurso para o mesmo lugar, sempre a mesma mesa do mesmo restaurante. Chega! Já estou ficando entediada com tanto engessamento.

Para mim, a graça está em experimentar ângulos, rotinas, estilos, sabores, aromas diferentes. Exceção feita para a disposição de móveis, que só recentemente tenho experimentado trocar de lugar. Ah! E para amigos queridos, que repito incansavelmente,em diferentes lugares, de preferência. Costumo ser fiel a profissionais e empresas que me atendem bem; e no campo afetivo, se me sentir retribuída e respeitada. Mas, em muitas coisas, muitas mesmo, sou adepta da variação. Acho o novo e o diferente tão instigantes. Ao mesmo tempo, se o novo e o diferente se mostrarem insossos, volto para minha zona de conforto sem dramas.

Sim, é mais fácil lidar com o mesmo, embora nem sempre melhor.

Um amigo de infância, que anda desencantado com a recente rabugice da esposa, me disse outro dia que não se separa porque a atual esposa ele já conhece, e teme trocar um problema por outro; quem sabe, maior. Ele que durma com sua certeza! Ou que leve o cobertor pro sofá da sala. Quem sabe corra menos risco, deixando-se envolver pela doce, bela e envolvente atriz de algum lançamento na Netflix.

Muda! Vai que rola!?

Inge Dienstmann
Jornalista, de Taquara
[Leia todas as colunas]

>> Deixe sua opinião:
Os artigos publicados no site da Rádio Taquara não refletem a opinião da emissora. A divulgação atende ao princípio de valorização do debate público, aberto a todas as correntes de pensamento.
Participe: jornalismo@radiotaquara.com.br