Geral
  OBRAS

Ponte em Padilha é reinaugurada pelas prefeituras de Taquara e Igrejinha

Estrutura em concreto foi construída numa parceria entre as duas administrações municipais.
Fotos: Cris Vargas/Prefeitura de Taquara

A reconstrução da ponte entre Taquara e Igrejinha, no Distrito de Padilha, representa a união entre as administrações municipais do Vale do Paranhana. A entrega oficial da estrutura, batizada de Albino Beno Kirsch, ocorreu nesta quinta-feira (14), com a presença dos chefes dos Executivos locais, Sirlei Silveira e Leandro Horle, do vice-prefeito de Igrejinha, João Lopes, e de secretários e vereadores de ambos os municípios.



A reconstrução da ponte iniciou-se em 10 de janeiro de 2022 graças ao convênio celebrado entre os Municípios para a obra, que visa proporcionar um melhor escoamento da produção agrícola, melhores condições para o transporte escolar e para a passagem de pedestres e ciclistas, entre outras necessidades comunitárias. As madeiras do assoalho foram substituídas por estrutura em concreto, que também recebeu gabiões nas cabeceiras. Os valores pagos por Taquara foram destinados através da devolução de economias da Câmara de Vereadores aos cofres do Executivo, em 2021, na presidência do vereador Adalberto Soares, que na cerimônia esteve acompanhado pelo vereador Marcelo Maciel.

“A comunidade estava ansiosa por esta entrega, pois é utilizada diariamente para quem transita entre Taquara e Igrejinha, seja para se dirigir ao trabalho, estudar, acessar outras localidades ou visitar familiares e amigos no nosso interior. Esta ponte representa a união entre as prefeituras, e tenho a certeza de que será a primeira de muitas parcerias que iremos literalmente construir para beneficiar a comunidade”, destacou a prefeita Sirlei Silveira.

Quem foi Albino

O nome da ponte é uma homenagem a Albino Beno Kirsch, nascido em 1924 na localidade de Passo da Ilha, Distrito de Padilha, em Taquara. Depois de casado, passou a morar com a família em Vila Teresa, em Taquara. Albino foi agricultor, tendo a criação de porcos como principal atividade por muitos anos. Também foi fabricante de vassouras de palha e plantava suas próprias palhas para uso. Na comunidade, sempre foi muito prestativo, tendo um grande envolvimento na Sociedade de Três Irmãos. Foi cantor na sociedade durante 78 anos, iniciando essa atividade aos 16. Albino faleceu com 96 anos, em 28 de fevereiro de 2020. Familiares e amigos participaram da reinauguração nesta quinta.