Prefeita de Taquara anuncia criação do Complexo Municipal de Saúde onde seria instalada a UPA do município

No local também haverá um espaço exclusivo para o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu)
Publicado em 14/09/2021 14:42 Off
Por Cleusa Silva

Durante uma coletiva de imprensa realizada na manhã desta terça-feira (14), com a presença do deputado estadual Dalciso Oliveira, além de vereadores e secretários municipais, a prefeita de Taquara, Sirlei Silveira, anunciou a criação do Complexo Municipal de Saúde, no local onde anteriormente seria instalada a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do município. Ainda nesta terça-feira a prefeitura de Taquara pretende dar andamento aos trâmites legais para a realização da licitação da empresa que concluirá a construção do prédio.

Localizada às margens da avenida Sebastião Amoretti, no perímetro urbano da ERS-020, no bairro Morro do Leôncio, a obra da antiga UPA, vem sendo desenvolvida desde 2012. A licitação para a unidade de nível 2, com área de abrangência de 100 mil a 200 mil habitantes e voltada para atender os municípios da região, foi finalizada em dezembro de 2012, com vistoria da Biomina Urbanizadora.

As obras, que deveriam ter iniciado em novembro de 2013, atrasaram em função de terraplanagem que precisou ser feita no terreno, sendo iniciadas em março de 2014, 15 meses após a licitação. Em outubro de 2016, a Biomina faliu, antes da conclusão da obra, e teve seu contrato rescindido.

Devido a um deslizamento de terras, que acabou atingindo residências próximas, foi necessária a construção de um muro de contenção, que já estava previsto no projeto inicial, mas acabou atrasando o andamento do projeto em função da escavação que foi preciso fazer no local. Em 2016, quando foi novamente paralisada, a obra estava com 52% de conclusão.

Durante a coletiva de imprensa, a prefeitura de Taquara esclareceu que, após fazer uma análise do estado de conservação das paredes já erguidas no terreno, constatou que, devido a depredação sofrida nesses últimos anos, a secretaria de Planejamento estima que houve uma perda de 3% dos materiais investidos, calculando assim que a construção deve estar em 49%.

Fotos: Cleusa Silva/Rádio Taquara

A planta original previa três prédios, um principal e outros dois anexos, que serviriam como subestação e depósito. O prédio principal esta com as paredes e fundações concluídas, e a laje, cobertura, reboco e contra piso estão parcialmente concluídos, faltando ainda a pintura, a colocação dos azulejos, a instalação da água, esgoto, esquadrias, o Plano de Proteção e Prevenção Contra Incêndio (PPCI) e a rede lógica. Já a construção dos dois anexos ainda não foi iniciada.

Conforme Sirlei, a utilização do antigo prédio da UPA irá oportunizar a ampliação da oferta de atendimentos na saúde e entrega de novos serviços à comunidade, o que hoje, pela falta de estrutura física, não é possível, visando também oferecer atendimentos para bairros que hoje não contam com uma unidade de saúde.

“Iremos beneficiar principalmente esses bairros que, atualmente, estão desprovidos de unidades básicas de saúde, como o Centro, Cruzeiro do Sul, Morro da Cruz, Morro do Leôncio, Recreio, Sagrada Família e Santa Rosa, num total de 11.074 pessoas que serão contempladas com atendimento básico em saúde”, destaca a prefeita de Taquara.

Fotos: Divulgação/Cris Vargas

O deputado Dalciso reforçou que, além desses R$ 2,4 milhões que estão sendo destinados a Taquara por meio do “Avançar na Saúde”, programa do governo do Estado, o município também foi contemplado com o Avançar na Cultura, que prevê o valor de R$ 1,5 milhão, destinado ao Museu Arqueológico do RS, no Quilômetro Quatro.

“São investimentos para ficar na história do Município, conquistados a partir de muito diálogo e parceria com o governador Eduardo Leite e a secretária estadual de Saúde, Arita Bergmann, e que ficará como legado para as atuais e futuras gerações”, comemora o deputado estadual.

Conforme a prefeitura de Taquara, o projeto foi apresentado pelo secretário de Administração, Jefferson Allan Müller, ao deputado Dalciso, de quem foi chefe de gabinete, e este capitaneou todos os movimentos, reuniões e ajustes para ser aprovado no governo do Estado.

“Isto mostra a grande diferença e importância da representação política de Taquara e do Vale do Paranhana na pessoa do deputado Dalciso, que com relação positiva e muita articulação, dia a dia, busca incansavelmente registrar o reconhecimento pelo governo”, reforçou Jefferson.

Questionada pela reportagem da Rádio Taquara sobre como serão mantidos os serviços e especialidades que serão oferecidas no Complexo Municipal de Saúde de Taquara, a secretária Ana Maria Rodrigues explicou que essa contratação de profissionais, assim como a montagem de móveis e equipamentos da nova unidade de saúde são contrapartidas dos municípios.

“Para podermos concluir as obras, com esses R$ 2,4 milhões, nós entraremos com a contrapartida de pessoal e também iremos equipar o Complexo. Muitos dos servidores que hoje já atuam no município irão para o Complexo, mas também estamos trabalhando de forma a poder abrir, oportunamente, editais de chamamento público, para novas contratações, e vamos ainda trabalhar na captação de recursos para essas aquisições e novas contratações. A ideia é que, no centro de especialidades, nós possamos concentrar toso os serviços e ter lá uma unidade referência”, explica a secretária de Saúde de Taquara.

Com aproximadamente 1,5 mil metros quadrados, o Complexo Municipal de Saúde de Taquara abrigará o Pronto Atendimento, a Saúde da Mulher, os atendimentos odontológicos e de fisioterapia, que atualmente estão na Unidade Central de Saúde Darcy Ribeiro, além de um Centro de Especialidades Médicas.

Também haverá um espaço exclusivo para o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), que atualmente está em um prédio alugado pelo Município, atendendo assim as necessidades da equipe de socorristas, além de estar localizado em um espaço de fácil acesso a rodovias e bairros urbanos.

Ainda nesta terça-feira a prefeita Sirlei pretende se reunir com a equipe da secretaria de Planejamento, para otimizarem o andamento dos trâmites legais para então dar início às obras do Complexo Municipal de Saúde e terem um prazo previsto para a conclusão do projeto.

“Precisamos agilizar, precisamos deliberar logo, porque tem tramitações que precisam ser respeitadas, mas ainda hoje nossa equipe se reunirá para deliberarmos sobre o assunto e aí sim termos prazos e darmos o pontapé inicial pra tudo isso”, reforça a prefeita de Taquara.

>> Deixe sua opinião: