Prefeitos da Ampara elaboram documento contra pedágios que será entregue ao governador Eduardo Leite

Defesa Civil e Gestão Pública também estiveram na pauta do encontro
Publicado em 15/07/2021 14:47 | Atualizado em 15/07/2021 22:13 Off
Por Cleusa Silva
Foto: Divulgação/Prefeitura de Parobé

Após a audiência pública realizada no auditório das Faculdades Integradas de Taquara (Faccat), no último dia 08 de julho, os prefeitos da Associação dos Municípios do Vale do Paranhana (Ampara) voltaram a se reunir, na manhã desta quinta-feira (15), para elaborar um documento contra os pedágios na região, ofício que será entregue ao Governador do Estado do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite.

O ofício, expressando a contrariedade da região ao formato do plano de concessões de praças de pedágio do Governo Estadual e ponderando sobre os principais anseios da região quanto ao tema, foi elaborado a partir do que foi discutido com as diversas lideranças do Vale do Paranhana que participaram do evento na Faccat. 

Durante a reunião, realizada na prefeitura de Taquara, os integrantes da Ampara, e também o prefeito de Maquiné, João Marcos dos Santos, redigiram o documento, expressando e esclarecendo três pontos principais, que foram elencados durante a audiência e que não constam no plano de concessões do Governo do Estado: a não transferência da praça de pedágio de Campo Bom para Parobé, a não inclusão de duas praças de pedágio na ERS-020 e a inclusão do trecho da ERS-239, entre Riozinho e Maquiné, no plano de concessões.

Segundo Diego Picucha, presidente da Ampara e prefeito de Parobé, a audiência serviu para ampliar a discussão e ouvir os anseios das autoridades da região, com representantes de entidades e da comunidade, abrindo um diálogo importante que faltou até o momento por parte do Estado que, inclusive, não mandou nenhum representante para o evento.

“Foi consenso durante a audiência que está faltando muito diálogo por parte do Governo do Estado, quanto a esse novo plano de concessões, que pondera sobre a mudança e instalação de novas praças de pedágio. Faltam informações sobre as intenções do Palácio Piratini sobre essa ação, que contemplará 30 anos de concessões e, em nenhum momento, fomos convidados a participar dessa discussão durante a elaboração desse plano, sendo que essas praças de pedágios impactarão diretamente a vida econômica de nossas comunidades e que, nos moldes em que estão sendo apresentadas, irão certamente atrapalhar ainda mais o desenvolvimento da região”, destaca o presidente da Ampara.

Defesa Civil e Gestão Pública também em pauta

Durante a reunião realizada em Taquara, o coordenador voluntário da Oficina Regional de Defesa Civil do Vale do Paranhana, Alto Sinos e Região das Hortências, o coronel da reserva da Brigada Militar, Cláudio Rocha, apresentou uma proposta aos prefeitos sobre a cooperação e integração entre a Defesa Civil dos municípios integrantes da Ampara, para auxílio mútuo e qualificação dos corpos técnicos.

No mesmo encontro, o vice-diretor de Pesquisa e Pós-Graduação da Faccat, o professor doutor Roberto Morais, explanou sobre o novo curso de especialização/mestrado de Gestão Pública que está sendo lançado pela entidade, com o objetivo de promover a melhoria na administração pública regional e municipal.

>> Deixe sua opinião: