Geral
  SAÚDE

Prefeitura de Taquara nega intenção de fechar o Posto 24 Horas

Administração informou que apenas haverá mudança para o Complexo Municipal de Saúde, assim que a obra estiver concluída, mas serviço continuará 24 horas.
Atendimento da Unidade Darcy Ribeiro será transferido para o Complexo Municipal de Saúde assim que a obra na avenida Amoretti estiver concluída. Foto: Cleusa Silva / Rádio Taquara

A Prefeitura de Taquara divulgou uma nota, nesta segunda-feira (25), para negar a intenção de encerrar os serviços de pronto-atendimento da Unidade Darcy Ribeiro, conhecido como Posto 24 Horas. Com a conclusão das obras do Complexo Municipal de Saúde, na avenida Sebastião Amoretti, o serviço será transferido para o novo imóvel, assim como a Saúde da Mulher, entre outros.

A polêmica envolvendo a possibilidade de encerramento da unidade 24 horas foi levantada por vereadores de Taquara e o ex-prefeito Tito Lívio Jaeger Filho em uma postagem nas redes sociais na sexta-feira passada (22). Na nota, a prefeitura reforça que o projeto do Complexo Municipal de Saúde foi elaborado em 2021, mesmo ano em que foi aprovado pelo governod o Estado para integrar o Avançar na Saúde.

A construção dessa nova unidade em Taquara aconterá no local que sediaria a UPA – Unidade de Pronto-Atendimento 24 Horas. Inicialmente, a UPA em Taquara foi divulgada no governo do ex-prefeito Délcio Hugentobler, que propôs a construção em terreno nos fundos do Hospital Bom Jesus. Em sua gestão, o ex-prefeito Tito, primeiramente, lançou discussões sobre a viabilidade da UPA e, depois, mudou o local para o terreno na avenida Amoretti, que inicialmente chegou a ser destinado para uma sede do Corpo de Bombeiros. A obra começou, mas enfrentou percalços, e exigiu a construção de muros de contenção, entre outras questões. Ainda em 2018, a prefeitura de Taquara encaminhou ao governo federal a documentação visando a adequação dos cadastro da UPA para um complexo de saúde. A administração mencionava a ideia de que o prédio sediaria o Posto 24 Horas e outras estruturas da saúde.

Contudo, o projeto do Complexo Municipal de Saúde foi enviado no ano passado ao governo do Estado visando a inserção no programa Avançar na Saúde, lançado em 2021 pela administração gaúcha. “Fomos os únicos do Rio Grande do Sul entre outros 19 Municípios que receberam recursos para investir em uma estrutura que não fosse um hospital. Para todos os outros, o Estado apenas incluiu no Avançar na Saúde unidades que prestam atendimento em alta complexidade. Isso demonstra a força política do deputado Dalciso Oliveira, que esteve em conversas pessoais com o governador da época, Eduardo Leite, para nos incluir no Avançar na Saúde, garantindo R$ 2,4 milhões para aquele prédio que estava deteriorando desde 2016”, pontuou a prefeita Sirlei Silveira.

Outro ponto citado na nota divulgada nesta segunda-feira pela Prefeitura é de que não houve, pelo menos na atual gestão, nenhum investimento através de emenda parlamentar na obra do Complexo Municipal de Saúde. “As emendas têm sido importantíssimas para o custeio da Saúde de Taquara, e por isso agradecemos a todos os deputados que nos alcançaram recursos para esta finalidade”, lembrou Sirlei. Desde 2021, entre as emendas recebidas está a do deputado Márcio Biolchi, de R$ 500 mil, que veio como incremento dos serviços de custeio da atenção básica, utilizada para a compra de materiais e de serviços, como materiais e medicamentos ambulatoriais e folha de pagamento de profissionais.

Segundo levantamento atualizado nesta segunda-feira pela Secretaria de Planejamento, Habitação, Segurança, Mobilidade e Trânsito, falta cerca de 65% da obra para a conclusão, prevista para março de 2023.