Primeira sessão do ano da Câmara de Taquara tem disputa por comissões

Vereador Luis Felipe reclamou por ter ficado de fora das comissões permanentes.
Publicado em 06/02/2018 17:03 | Atualizado em 06/02/2018 17:09 Off
Por Vinicius Linden

A primeira sessão do ano na Câmara de Vereadores de Taquara foi realizada na noite desta segunda-feira. E a reunião foi marcada por uma disputa em relação à formação das comissões do Legislativo. O vereador Luis Felipe Luz Lehnen (PSDB), da oposição, reclamou de ter sido deixado de fora das comissões permanentes responsáveis pela análise dos projetos de lei. São elas as comissões de Constituição e Justiça e de Orçamento e Finanças. O presidente da Câmara, Guido Mário Prass Filho (PP), sustentou que a medida foi tomada para assegurar a realização dos trabalhos, bem como cumprindo o regimento interno e a soberania do plenário.

A definição das comissões teve como primeiro ato a indicação dos líderes de bancada. O PTB escolheu como líder o vereador Telmo Vieira, enquanto a liderança do Partido Progressista (PP) ficará com Sandra Schaeffer. Régis Souza será o líder do PMDB. Os partidos que têm apenas um vereador serão liderados por seus únicos representantes. Estes são os casos do PT (vereadora Mônica Facio), PSC (Moisés Rangel) e PSDB (Luis Felipe).

Depois, o presidente da Câmara deu início à formação das comissões do Legislativo. Segundo Guido Mário, como é de praxe, três comissões da Câmara seriam compostas por apenas três membros, para não inviabilizar o seu trabalho durante o ano. O presidente argumentou que uma comissão com cinco membros, por exemplo, poderia ter dificuldade na realização de reuniões à medida que um dos seus integrantes faltasse aos encontros, ressaltando que estas comissões com menos membros são justamente aquelas que têm reuniões semanais para a análise dos projetos. O vereador Luis Felipe protestou. Disse que a medida contraria o regimento interno, que prevê a indicação de um membro de cada partido às comissões. Afirmou que os partidos da base do governo chegam, mais uma vez, organizados para excluir os partidos de oposição das comissões. O vereador disse que neste ano não se calará diante do fato e que a situação acarretaria em muito trabalho à mesa diretora e à assessoria jurídica da Câmara. Posteriormente, à reportagem do Panorama, Lehnen afirmou que estudará, junto com seus advogados, se buscará uma medida judicial a respeito da formação das comissões.

Lehnen disse que o PSDB teria interesse em integrar apenas as comissões de Constituição e Justiça (CCJ) e de Orçamento, Finanças e Fiscalização (COF). Contudo, a indicação do seu nome acabou sendo derrotada, na votação, pela maioria dos vereadores. Com isso, a CCJ será formada por Sirlei Silveira, Sandra Schaeffer e Mônica Facio. Já a COF terá como membros Telmo Vieira, Adalberto Soares (PP) e Moisés Rangel.

Só vereadores do PTB se interessam por comissão de saúde
Outro fato que marcou a formação das comissões permanentes da Câmara de Vereadores de Taquara foi o desinteresse demonstrado pela maioria dos partidos em relação à Comissão de Saúde e Assistência Social. Mesmo com o município enfrentando a situação de intervenção no Hospital Bom Jesus, apenas integrantes do PTB, partido da atual administração de Taquara, se inscreveram para a composição da comissão. O próprio presidente da Câmara disse que a medida não seria positiva, pois a comunidade poderia enxergar como uma atuação dele, mas Guido Mário ressaltou que foram os vereadores que decidiram desta forma. Com isso, a comissão será composta pelos vereadores petebistas Levi Lima, Marlene Haag e Daniel Laerte Lahm.

Também na primeira sessão foi definida a formação da Comissão de Educação, Cultura e Esporte, que terá como membros Sirlei Silveira, Sandra Schaeffer e Mônica Facio, além da comissão de Terras, Agricultura, Patrimônio e Habitação, integrada por Daniel Lahm, Adalberto Soares e Moisés Rangel.

Assista a íntegra da primeira reunião do ano na Câmara de Taquara.

>> Deixe sua opinião: