Projeto direcionado aos alunos de Taquara visa valorizar a história dos afrodescendentes do município

Legado cultural identificado pelos estudantes fará parte de uma exposição museológica
Publicado em 05/11/2021 10:50 | Atualizado em 05/11/2021 10:51 Off
Por Cleusa Silva

Com o objetivo de valorizar a história dos afrodescendentes do município, a Secretaria Municipal de Educação, Cultura e Esportes (Smece) de Taquara, através da Diretoria de Cultura, está desenvolvendo o projeto “Memórias da africanidade: a contribuição da comunidade afrodescendente na história de Taquara-RS a partir dos olhares dos educandos taquarenses e do Museu Municipal Adelmo Trott”, direcionado a escolas da Educação Infantil ao Ensino Médio, municipais, estaduais e particulares.

Para compartilhar com os taquarenses esse legado cultural da comunidade afrodescendente no município, após uma imensa pesquisa, os estudantes deverão criar um “documento artístico – objeto”, que poderá ser uma escultura, um artesanato, uma pintura ou um desenho, que participara da exposição museológica alusiva à Semana de Reflexão da Consciência Negra, que ocorrerá de 15 a 26 de novembro.

Conforme a prefeitura de Taquara, o local ainda não está definido, dependendo de quantas obras farão parte do momento, podendo ocorrer no saguão da prefeitura ou nas Faculdades Integradas de Taquara (Faccat).

A abertura oficial da Semana de Reflexão da Consciência Negra será no dia 16 de novembro, às 19h, pelo Google Meet, com os professores da rede de ensino. O museu também elaborará um documentário para ser exibido nas redes sociais da Prefeitura de Taquara (Facebook e  Youtube) nos dias 20 e 21 de novembro,  às  19h.

Segundo o historiador Maicon Diego Rodrigues, o projeto visa a preservação da memória e da história das comunidades afrodescendentes.

“Estudar a História nos oportuniza relembrar e refletir os acontecimentos que marcaram a vida dos antepassados, pois uma sociedade que não preserva a sua História, perde-se nos meandros de seu próprio passado, não alcançando novos meios de mudar seu presente e projetar seu futuro”, reforça Maicon.

E conclui: “Há a urgente necessidade de abordar nas escolas projetos e políticas públicas para a valorização da história e cultura das comunidades afrodescendentes para além do Dia ou da Semana da Consciência Negra”

Metodologia

A instituição de ensino que aderir à iniciativa fará, juntamente com o Museu, pesquisas e buscas para responder questões que envolvem a migração da comunidade afrodescendente para a região, as suas contribuições ao longo da história, bem como o sentimento do grupo quanto à valorização de sua história e sua cultura na cidade.

A partir dos resultados será elaborado o documento artístico – objeto, selecionado por cada escola e enviados  ao  museu para comporem a exposição. Os trabalhos selecionados nas escolas receberão um certificado emitido pela Smece, Departamento de Cultura e Museu Municipal Adelmo Trott.

O projeto terá como foco trabalhar com todas as possibilidades de  documentação  e  memórias,  visando  à  preservação  e  a  valorização do legado construído pela comunidade afrodescendente através da fotografia, da pintura, da escultura  e  do  artesanato  identificado  com  as  africanidades  do  grupo  em  estudo.

>> Deixe sua opinião: