Educação Geral
  ESTUDANTES EM AÇÃO

Projetos esportivos para estudantes e adolescentes do bairro Empresa tem início em Taquara

Iniciativa busca ofertar atividades como capoeira, futebol, atletismo, vôlei e jogos de tabuleiros
Fotos: Cris Vargas/Prefeitura de Taquara

Na última segunda-feira (04), teve início em Taquara os projetos esportivos voltados para as crianças e adolescentes no bairro Empresa, durante o contraturno escolar. A iniciativa busca ofertar atividades como capoeira, futebol, atletismo, vôlei e jogos de tabuleiros para jovens entre sete a 14 anos que estudam na Escola Estadual de Ensino Médio Wilibaldo Bernardo Samrsla (Ciep) e na Escola Estadual de Ensino Fundamental Dr. Breno Oswaldo Ritter.

Conforme a prefeitura de Taquara, os atendimentos estão sendo realizados nas dependências do Ciep e também no Campo do Palmeiras, nas segundas, quartas e sextas-feiras, nos turnos da manhã e tarde, e no sábado pela manhã.

De acordo com o diretor de Proteção e Projetos Sociais da Secretaria de Desenvolvimento Social, Trabalho e Cidadania, Pedro Gabriel Silva, são 60 jovens atendidos nesta fase inicial, sendo duas turmas com 20 alunos pela manhã, e uma turma com 20 alunos na tarde.

“Desde o primeiro dia, vejo as crianças e adolescentes empolgadas com as novas atividades que estão sendo ofertadas. Por eles, haveria este projeto todos os dias. É gratificante ver essa animação”, destaca Pedro Gabriel.

Uma das primeiras oficinas realizadas pelo projeto é a de capoeira, realizadas pelo educador social do Centro de Referência de Assistência Social (Cras), Tom Elias.

“São atividades que desenvolvem habilidades esportivas, mas também irão trabalhar convívio social, disciplina, cuidados com a saúde e responsabilidade”, completa Sirlei Silveira, prefeita de Taquara.

Projeto é piloto no Município

As atividades com crianças e adolescentes nob Empresa são uma iniciativa pioneira. Pedro explica que, após o processo inicial, há a expectativa para que haja um aumento de aulas com os alunos já atendidos, e que o projeto deverá ser implementado também em outros bairros de Taquara.

“As atividades de contraturno são uma extensão do aprendizado. Por meio de um ambiente seguro e da utilização do esporte como ferramenta de transformação e promoção à saúde, o projeto irá beneficiar alunos, pais e a comunidade como um todo”, complementa Pedro Gabriel.

Definição dos alunos foi feita pelas escolas

Segundo a prefeitura de Taquara, os alunos participantes foram indicações das escolas Ciep e Breno Ritter, que definiram seus próprios critérios de seleção. Na Escola Breno Ritter, as escolhas foram de estudantes do terceiro e quarto ano do Ensino Fundamental.

Segundo a diretora da instituição, Ana Lúcia Neves, alguns jovens também a procuraram para estarem presentes no projeto social.

“Acredito que tudo que vier somar para o crescimento, desenvolvimento e contenção da violência entre nossos alunos, se torna bem-vindo”, conta a diretora da Escola Breno Ritter.

Já na Escola CIEP, o critério principal de seleção dos alunos ao projeto foi atender crianças que estão em situação de vulnerabilidade social, com tempo ocioso, além de acolher jovens interessados em participar.

A diretora da escola, Andreia Lindenmeier, destaca a importância da realização destas iniciativas de inclusão.

“Os pais também sentem mais confiança ao saber que os filhos estão dentro da escola. A inserção em projetos sociais também contribui para um maior rendimento escolar, e oferece oportunidades para auxiliar as crianças e adolescentes no desenvolvimento de diversas habilidades físicas”, salienta Andreia.