Geral
  MEIO AMBIENTE

Quinzena do Meio Ambiente tem ações descentralizadas nas escolas de Taquara

Programação segue até sábado (11)
Foto: Ruan Nascimento/Prefeitura de Taquara

Iniciada na última sexta-feira (03), a programação da Quinzena do Meio Ambiente de Taquara foi marcada por uma série de atividades nas escolas da rede municipal, promovidas pelas secretarias de Educação, Cultura e Esporte (Smece) e de Meio Ambiente, Defesa Civil e Causa Animal.

Conforme a prefeitura de Taquara, o objetivo dos eventos descentralizados foi para as unidades de ensino divulgarem o que já está sendo feito nas escolas com base na proteção ambiental.

“É um trabalho importante para despertar nas crianças e adolescentes do Município o interesse pela preservação do meio ambiente, para que também colaborem com a proteção do nosso planeta”, ressalta a prefeita Sirlei Silveira.

De acordo com a coordenadora ambiental da Smece, Luciana Martins, a iniciativa foi definida nas reuniões do Coletivo Educador, grupo de professores de 45 escolas de Taquara que cria ações em conjunto com foco na educação ambiental do Município.

“Cada escola desenvolveu na sexta-feira passada a sua própria ação, com o objetivo de sensibilizar as crianças para que pensem o ‘Meio Ambiente do Amanhã’, que é o tema da nossa Quinzena”, explica Luciana.

As ações da Quinzena do Meio Ambiente seguem até sábado (11).

Laboratório aberto para todos os alunos

A ação feita pela Escola Municipal de Ensino Fundamental (EMEF) Rosa Elsa Mertins, no bairro Santa Rosa, foi a abertura da estrutura do seu laboratório próprio. Os alunos puderam ver animais como cobras, aranhas e borboletas, entre outros.

Os pequenos também tiveram acesso a microscópios, onde enxergaram raízes de plantas, mosquitos e moscas. No local, também havia fotos e desenhos de vírus e bactérias presentes no dia a dia, e informações sobre como eles podem afetar as pessoas.

“As crianças se encantam com o espaço. Elas chegam aqui e querem olhar os animais, e terem conhecimento sobre todas as espécies e sua importância para a natureza. A ideia é, aos poucos, os professores se apropriarem deste espaço, deixando ele aberto durante as aulas”, conta a professora de ciências da escola, Josi Cerveira.

O laboratório foi reativado em parceria com o Instituto Federal do Rio Grande do Sul (IFRS) de Rolante. A bióloga da instituição, Gabriela Sant’Anna, explica que trouxe equipamentos para a escola, para que pudessem ser utilizados os microscópios que já haviam na unidade de ensino e estavam desativados. A atividade também integra o projeto de extensão “Criação de um laminado para as práticas de ensino”.

“É fantástico despertar a curiosidade nas crianças. O interesse delas sobre como funciona a natureza é muito grande”, ressalta Gabriela.

Um dos visitantes do laboratório foi Fábio Matte Júnior, de sete anos, e que é aluno do segundo ano. Foi a primeira vez dele na sala, e disse que pretende retornar ao espaço mais vezes.

“Gostei de ver as aranhas e as mariposas, além do que tinha na sala sobre os vírus e suas estruturas. Foi muito divertido estar aqui”, destaca o aluno da EMEF Rosa Elsa Mertins.