Revisão do governo aumenta em 9% o número de empregos fechados na região em 2020

Em janeiro, governo informou que foram cortados 2.073 empregos no ano passado; agora, revisou este número para 2.250.
Publicado em 04/11/2021 15:46 Off
Por Vinicius Linden

Uma revisão do governo federal nos números da geração de empregos formais piorou os resultados de 2020 no Vale do Paranhana. Houve um crescimento de 9% no número de vagas fechadas no ano passado. Em janeiro, o governo informou que os seis municípios tiveram um recuo de 2.073 empregos com carteira assinada nos 12 meses de 2020. Agora, com a revisão, este número saltou para 2.250 vagas fechadas. Foram acrescentados 177 empregos cortados.

Gráfico mostra desempenho dos municípios na criação de empregos em 2020 na região – conforme dados revisados pelo governo federal.

A maior variação percentual foi de Taquara, que teve 16% de aumento no número de vagas fechadas segundo os dados do governo, passando de 250 para 291. Já Igrejinha teve um acréscimo de 10% em empregos cortados, de 736 para 809. Em Rolante, o aumento foi de 2%, de 640 para 652. Riozinho e Três Coroas não tiveram alterações nos dados. Já Parobé piorou: único município com saldo positivo na geração de empregos em 2020 na região, a economia parobeense viu diminuir o saldo de 713 para 666 – uma queda de 7% em relação aos dados divulgados no começo do ano (veja tabela abaixo com as variações).

COMPARAÇÃODivulgado em janeiroCorreção do governoDiferença
Igrejinha-736-80910%
Parobé713666-7%
Riozinho-175-1750%
Rolante-640-6522%
Taquara-250-29116%
Três Coroas-985-9890%
TOTAL:-2073-22509%
Fonte: Ministério do Trabalho e Previdência
Gráfico mostra desempenho dos setores econômicos na criação de empregos em 2020 na região – conforme dados revisados pelo governo federal.

O setor mais impactado pela revisão do governo foi o comércio, que teve crescimento de 69% nas demissões entre o número inicial e o revisado – passou de 13 para 22. Já o setor de serviços aumentou em 6%, com 227 divulgado em janeiro e agora 240 empregos fechados no número revisado. Já a indústria aumentou em 5% o total de vagas cortadas, de 2.808 para 2.958. A construção, único setor com resultado positivo em 2020 na região, viu diminuir em 1% o número de vagas criadas, de 976 para 971. Já a agropecuária não sofreu revisão.

COMPARAÇÃODivulgado em janeiroCorreção do governoDiferença
Agropecuária-1-10%
Comércio-13-2269%
Construção976971-1%
Indústria-2808-29585%
Serviços-227-2406%
TOTAL:-2073-22509%

Em 2020, a economia do Vale do Paranhana sofreu com o baque da pandemia. Foram quatro meses, de março até junho, com expressivos saldos negativos. Houve saldo positivo na geração de empregos em janeiro e fevereiro e, depois, de julho até novembro. Mas, em dezembro, a economia regional perdeu fôlego e teve novamente saldo negativo.

Sobre a revisão, o Ministério do Trabalho e Previdência atribuiu as reduções do saldo ao envio de declarações fora do prazo pelas empresas. Segundo o ministério, o prazo para ajustes dos dados do ano passado acaba no fim de 2021. “A entrada de dados fora do prazo acontece quando as empresas declaram as informações de admissão e demissão após a competência em que a movimentação se realizou. A possibilidade de realizar esse tipo de declaração já existia no antigo Caged, havendo uma ocorrência um pouco maior neste momento devido ao processo de transição para a declaração via eSocial, que ocorreu para um número significativo de empresas ao longo de 2021”, acrescentou o Ministério do Trabalho e Previdência.

>> Deixe sua opinião: