Secretária de Educação explica processo de retomada de escola em Taquara

Brigada Militar foi acionada na Escola Vovó Arlete em momento de divergência entre membros da Adpecs e prefeitura.
Publicado em 02/09/2021 12:00 | Atualizado em 02/09/2021 12:02 Off
Por Vinicius Linden

A secretária municipal de Educação, Carla Silveira, explicou, nesta quinta-feira (2), em entrevista ao programa Painel 1490, da Rádio Taquara, a necessidade de acionamento da Brigada Militar junto à Escola Vovó Arlete. O procedimento ocorreu no momento de retomada da gestão do educandário pelo município, nesta quarta-feira (1). Segundo a secretária, houve um momento de ânimos acirrados no local, em que ela própria pediu o apoio dos policiais militares para conduzir a situação.

Carla falou sobre a decisão do município de encerrar o contrato com a Associação de Desenvolvimento de Projetos Educacionais, Culturais e Sociais (Adpecs). De acordo com a secretária, a parceria para a gestão da escola Vovó Arlete encerrou em 31 de julho e a proposta submetida pela prefeitura à entidade foi para renovação por seis meses. Isso leva em conta que a própria administração já vinha discutindo a municipalização destes educandários, por diversas situações envolvendo a remuneração de profissionais e o atendimento prestado nas escolas.

Contudo, segundo Carla, a entidade, em um primeiro momento, manifestou que não havia interesse em renovar por apenas seis meses, somente com o prazo de um ano. Por isso, a prefeitura encaminhou uma notificação à empresa, dando conta do encerramento da parceria e a retomada do educandário. A notificação foi entregue na terça-feira (31). No dia seguinte, a equipe da Secretaria de Educação se organizou para assumir a gestão da escola, assegurando o atendimento à comunidade.

Carla explicou que, no decorrer da manhã, houve a presença na escola de uma pessoa que se apresentou como diretora e representante da Adpecs, embora não tivesse documentação comprobatória dessa condição. Também compareceu um diretor da Associação e houve alguns acirramentos de ânimos, o que motivou o acionamento da Brigada Militar. Segundo Carla, conforme conduzido pelos próprios policiais, embora a divergência entre a prefeitura e a Adpecs, aquele não era o local adequado para aquele tipo de resolução.

A secretária disse que a Adpecs informou que poderá acionar judicialmente a prefeitura, mas ponderou que, no Judiciário, o município também apresentará as suas alegações para a análise. Carla Silveira enfatizou que, para os alunos e pais, a escola Vovó Arlete está funcionando normalmente. Sobre as escolas Tia Paty, no bairro Santa Rosa, e Leonel Brizola, no Empresa, que ainda funcionam com o convênio com a Adpecs, a secretária disse que a parceria vigente é até 31 de dezembro. Ainda está em estudo como ficará a situação destes dois educandários, ou seja, se haverá a eventual municipalização.

Assista a íntegra da entrevista:

>> Deixe sua opinião: