Sirlei envia ofício à PF e coloca Prefeitura à disposição de investigações sobre Hospital de Taquara

Atual chefe do Executivo orienta que secretários municipais e procurador jurídico concedam acesso a todos os documentos que estejam de posse da prefeitura.
Publicado em 31/08/2021 14:55 Off
Por Vinicius Linden

A prefeita de Taquara, Sirlei Silveira, divulgou, nesta terça-feira (31), que encaminhou um ofício ao superintendente regional da Polícia Federal (PF) no Rio Grande do Sul, Aldronei Antônio Pacheco Rodrigues. No documento, a chefe do Executivo afirma que colocou os servidores da Prefeitura e todo o seu secretariado à disposição da PF para contribuir nas investigações da Operação Tomentella. A ação cumpriu mandados de busca e apreensão em Taquara, durante a manhã, em investigação sobre supostos desvios de recursos quando da gestão do Hospital Bom Jesus pelo Instituto de Saúde e Educação Vida (ISEV) entre 2016 e 2017.

“Ainda que o período investigado não tenha relação com nosso governo, determinei a todos os secretários municipais e procurador jurídico que concedam acesso a todos os documentos que estejam de posse da municipalidade, independente de ordem judicial, como forma de auxiliar no trabalho investigativo”, reforçou a prefeita.

Segundo nota da prefeitura, o documento assinado por Sirlei foi encaminhado à Superintendência da PF nesta tarde. “A nossa administração busca a transparência e a gestão dos recursos públicos de maneira eficiente e econômica. Somos a favor do combate a eventuais atos de corrupção e abuso do poder econômico”, destacou Sirlei Silveira.

Associação Vila Nova se manifesta

A Associação Hospitalar Vila Nova (AHVN), atual gestora do Hospital Bom Jesus, divulgou uma nota em que ressalta que não é objeto de ação da Operação Tomentella. “A investigação teve início no final de 2018 e apura a contratação, pelo município de Taquara, de associação civil que administrou o Hospital durante os anos de 2016 a 2017, anteriormente à gestão da AHVN. A entidade passou a gerir o Bom Jesus somente em 14 abril do ano passado, três anos após o período compreendido pelas investigações. Relevante destacar ainda que a AHVN, inclusive, está colaborando com todas as demandas da Polícia Federal e demais autoridades envolvidas no caso”, diz o texto.

Mais sobre a operação

>> Deixe sua opinião: