Suspeitos de integrarem facção que extorquia proprietários de estabelecimentos comerciais são presos em Taquara

Confira fotos da operação realizada pela Polícia Civil de Taquara, com apoio dada CORE, DRACO de Canoas, da Brigada Militar e P2
Publicado em 10/09/2021 10:58 | Atualizado em 10/09/2021 11:38 Off
Por Rádio Taquara
Fotos: Rádio Taquara

Desencadeada desde o início da manhã desta sexta-feira (10), uma operação da Polícia Civil e da Brigada Militar de Taquara está chamando a atenção da comunidade. Além das viaturas vistas em diversos pontos da cidade, a quantidade de veículos apreendidos e parados na frente da Delegacia de Polícia (DP) está intrigando quem passa pelo local.

Conforme apurações da reportagem da Rádio Taquara, a DP de Taquara cumpriu quatro mandados de busca e apreensão e três mandados de prisão preventiva, além de um mandado de prisão temporária, em combate aos crimes de extorsão e organização criminosa.

Conforme a delegada Rosane de Oliveira, responsável pela coordenação da operação, empresários de Taquara vinham sofrendo ameaças e sendo extorquidos, sendo obrigados a pagar um valor em dinheiro para poder trabalhar. Indivíduos, que se identificavam como sendo da facção, exigiam uma espécie de ‘pedágio’ dos empresários, que, temendo por sua própria segurança e de seus familiares, acabavam pagando o valor exigido.

“Após semanas de investigações, foi possível descobrir a autoria, identificar e prender alguns dos indivíduos que estavam praticando as extorsões e recolhendo o dinheiro, bem como apreender os veículos e telefones utilizados pelos mesmos para a prática do crime”, relata a delegada Rosane.

Ela explica ainda que o crime estava sendo praticado mediante grave ameaça às vítimas e suas famílias, e a seus estabelecimentos comerciais, utilizando-se do poder da facção criminosa, inclusive perseguindo as vítimas com veículos, enquanto elas estavam com suas famílias. Esses indivíduos também ameaçavam colocar fogo nos estabelecimentos comerciais das vítimas, caso se negassem a pagar o valor exigido.

“É relevante mencionar que trata-se de um crime grave onde as vítimas, inclusive, temiam registrar ocorrência, por medo de represália. Contudo, a Polícia Civil reforça que é de suma importância o registro de ocorrência para que as diligências de investigação possam ser realizadas mais rapidamente e os acusados sejam responsabilizados pelos seus atos”, alerta a delegada titular da Delegacia de Polícia de Taquara.

Durante a operação, que teve o apoio da CORE, DRACO de Canoas, da Brigada Militar e P2, foram cumpridos dois mandados de prisão preventiva, um mandado de prisão temporária e uma prisão em flagrante, além da apreensão de sete veículos, uma quantia de R$ 4.690,00 em dinheiro, munições diversas, duas pistolas 9mm, duas Pistola .380, dois revólveres .38, um fuzil .556, uma espingarda l.12, uma carabina .38 e uma carabina .22.

Todos os presos foram conduzidos para a Delegacia de Taquara para os registros de praxe.

>> Deixe sua opinião: