Geral
  FEMICTA

Taquara abre inscrições para a sexta edição da Feira Municipal de Iniciação Científica

Femicta voltará ao formato presencial após três anos
Foto: Ruan Nascimento/Prefeitura de Taquara

A Secretaria Municipal de Educação, Cultura e Esporte (Smece) de Taquara abriu, nesta sexta-feira (15), as inscrições para a sexta edição da Feira Municipal de Iniciação Científica de Taquara (Femicta). O evento reúne projetos desenvolvidos por alunos das escolas municipais, estaduais e particulares da cidade, e em 2022, voltará ao formato presencial, nos dias 16 e 17 de agosto, na Sociedade 5 de Maio.



As inscrições dos projetos seguirão abertas até o dia 1º de agosto, e deverão ser feitas pelos professores orientadores dos trabalhos. As apresentações serão em seis diferentes categorias: Educação Infantil, Ensino Fundamental Categoria 1 (do 1º ao 3º ano), Ensino Fundamental Categoria 2 (do 4º ao 6º ano), Ensino Fundamental Categoria 3 (do 7º ao 9º ano), Ensino Médio e Educação de Jovens e Adultos (EJA).

“Estamos animados para a realização da Femicta deste ano, pois é um evento em que os alunos são motivados a mostrar seus talentos, descobrindo o prazer pelas descobertas”, frisa a prefeita Sirlei Silveira.

Nos últimos dias, as escolas municipais estão realizando suas próprias feiras científicas, nas quais os melhores trabalhos serão encaminhados para a Femicta. De acordo com a secretária de Educação, Cultura e Esporte, Carla Silveira, a expectativa é de que haja uma adesão maior de alunos inscritos neste ano.

“Será a primeira edição da feira de forma presencial desde o início da pandemia. Ano passado, em função das restrições sanitárias, foi totalmente virtual. Agora em 2022, percebemos que todas as escolas estão participando de alguma forma com suas avaliações internas, assim como as unidades de ensino estaduais e particulares, que também foram convidadas a encaminhar os seus projetos”, explica Carla.

Uma das avaliações internas realizadas foi na Escola Municipal de Ensino Fundamental (EMEF) Calisto Eolálio Letti, no bairro Fogão Gaúcho, na quinta-feira (14). Entre os trabalhos apresentados, os alunos do terceiro ano, Davi Pereira, Alice Claudino e Vinícius Ribeiro de Almeida, desenvolveram a pesquisa “Açaí é sorvete?”, no qual descobriram as propriedades do açaí, além de apresentarem receitas que podem ser feitas com a fruta.

“Um colega nosso perguntou em sala de aula se o açaí era sorvete, por ser vendido sempre de forma gelada por aqui. Aí pesquisamos e descobrimos que é fruta de muita qualidade. Gostamos de fazer esse trabalho. Foi uma experiência bem legal”, conta Davi.

As estudantes Luiza Alves, Júlia da Costa e Ana Luiza Heidrich, do nono ano, também pela escola Calisto Eolálio Letti, realizaram o trabalho com o tema “TOC TOC, quem bate?”, que foi um estudo sobre o transtorno obsessivo-compulsivo (TOC), um distúrbio psiquiátrico de ansiedade.

“Poucas pessoas sabem do que se trata esse tipo de transtorno. Eu tenho TOC e já sofri muito com isso. Aí surgiu a ideia de fazer esse projeto para informar e orientar sobre os sintomas, causas e tratamentos com a ajuda de um psicólogo ou psiquiatra”, explica Luiza.

Conforme a prefeitura de Taquara, os trabalhos apresentados na Femicta serão avaliados por um corpo de jurados. As duas pesquisas de maior pontuação das categorias de Educação Infantil, Ensino Fundamental e Ensino Médio receberão credenciais de participação para a Mostratec Júnior de 2022. Carla ressalta a importância do incentivo à pesquisa aos alunos.

“Para o Município, a feira é essencial, pois conseguimos acompanhar diversos trabalhos produzidos em diferentes escolas, em que os alunos se tornam protagonistas deste processo”, destaca a secretária de Educação, Cultura e Esporte de Taquara.