Taquara dá início ao Sistema de Monitoramento Colaborativo

Participação da comunidade é extremamente importante para que ele ganhe força
Publicado em 25/08/2021 09:30 Off
Por Cleusa Silva
Foto: Divulgação/Manfred Antranias Zimmer (Pixabay)

Criado com o objetivo de mapear os pontos particulares e públicos da cidade em que tenham câmeras de vigilância, para que possam ser utilizados com rapidez em investigações policiais, o Sistema de Monitoramento Colaborativo passa a ser implementado em Taquara. A iniciativa busca integrar ações da Administração Municipal com o apoio da população no combate à criminalidade.

O novo projeto permite que o poder público tenha mais facilidade para obter acesso às câmeras de vigilância de residências ou estabelecimentos que tenham cobertura de vias públicas. Pode fazer parte deste sistema qualquer local do Município com câmeras de monitoramento, como comércio, clubes, terrenos, praças, igrejas, entre outros.

Conforme o assessor jurídico da Prefeitura de Taquara, Cassiano Ebert, os parceiros receberão um selo para ser fixado em área visível, para que seja possível inibir a criminalidade.

“É uma maneira importante de os moradores tornarem-se protagonistas no combate ao crime, de forma a participar ativamente junto aos órgãos de segurança pública”, comenta Cassiano.

A ideia da criação do Sistema de Monitoramento Colaborativo de Taquara surgiu a partir da quinta reunião da segurança pública, realizada no dia 28 de julho, na prefeitura, e envolve, além da Administração Municipal, o Conselho Comunitário Pró-Segurança Pública (Consepro), a Câmara de Vereadores, o Ministério Público, o Poder Judiciário, a Polícia Civil, a Brigada Militar, a Superintendência dos Serviços Penitenciários (Susepe), o Núcleo de Apoio à Segurança Pública e o Lions Inovação.

Quem tiver interesse em aderir ao projeto, de forma espontânea, deve fazer um cadastro e, posteriormente, será realizado um mapeamento dos locais que possuem câmeras. Esse banco de dados estará disponível apenas para os agentes das forças de segurança, que farão as consultas para ações contra a criminalidade.

Cassiano reforça que a intenção do projeto é a obtenção de informações que serão acessadas pela autoridade policial, somente para investigações criminais.

“Não se trata de ter acesso em tempo real às câmeras, e sim, de informarmos aos setores da segurança pública que, em determinada rua, determinada casa tem uma câmera de monitoramento que pode ter gravado algum crime”, complementa o assessor jurídico da prefeitura de Taquara.

Para participar os moradores de Taquara devem preencher um formulário online, acessando o link bit.ly/seloseguranca. Nele, deverão ser informados o endereço, telefones para contato e o local de captação de imagens das câmeras instaladas. Não há prazo final para as inscrições.

“O Monitoramento Colaborativo do Município de Taquara já é uma realidade, sendo extremamente importante que as pessoas se cadastrem para que ele ganhe força. Todas as informações são absolutamente resguardadas por sigilo. Imaginamos que será possível dar maior robustez às provas a serem produzidas nas investigações, o que, por consequência, aumentaria o número de condenações judiciais, minimizando o problema da impunidade”, frisa Cassiano Ebert.

>> Deixe sua opinião: