Vale do Paranhana se mobiliza para evitar instalação de pedágio em Parobé

Autoridades se reuniram na noite desta quarta-feira (30) na Câmara de Vereadores
Publicado em 02/07/2021 09:58 | Atualizado em 02/07/2021 18:12 Off
Por Alan Júnior

Fotos: Eduarda Rocha/Assessoria de Comunicação

Após o anúncio feito pelo Governo do Estado nas últimas semanas sobre a possível transferência de uma praça de pedágio para Parobé e a criação de mais duas em outras cidades do Vale do Paranhana, forças políticas, entidades e a população somam forças para evitar que o projeto se concretize.

A fim de levantar o debate e ouvir a comunidade, a Câmara de Vereadores promoveu na noite de terça-feira, dia 30, uma audiência pública que reuniu autoridades e representantes de toda a região. “Esta é uma mobilização suprapartidária. Atualmente nem mesmo obras simples nós conseguimos com o governo para esta rodovia. É uma falta de respeito com todos os municípios que integram a região. Nós não queremos o pedágio em Parobé”, enfatizou o prefeito Diego Picucha.

 “Há um consenso geral de que esta praça de pedágio não pode ser instalada aqui. Vamos mobilizar deputados e quem mais for necessário para mostrar que a população de Parobé não quer isso”, destacou o presidente do Legislativo Parobeense, Marquinhos Fridrich.

Segundo o vereador e proponente do evento Dari da Silva, não existe lógica em alterar o pedágio de uma região que contempla mais de um milhão de habitantes e colocá-lo em uma região que soma 250 mil habitantes. “Esta decisão vai ter um impacto negativo direto. Cidades que ainda não tem um comércio muito consolidado, por exemplo, vão acabar migrando para outros lugares, vamos perder muito aqui. O município ficará apenas com a conta, isto é inadmissível”, comentou.

Fechamento da rodovia – Durante o evento, os participantes levantaram ações que podem ser realizadas para demonstrar insatisfação com a medida anunciada pelo governador, Eduardo Leite. Entre as ações está um protesto às margens da ERS-239, podendo até mesmo fechar a rodovia. “Se for preciso nós vamos reunir as lideranças para que a rodovia seja fechada, mostrando que aqui nada será a toque de caixa”, afirmou o chefe do Legislativo de Igrejinha, Willian Procksch.

Outro ponto discutido foi a respeito da falta de diálogo com os prefeitos do Vale do Paranhana. “A tratativa dos pedágios foi comunicada a todos pela imprensa e veículos de comunicação. Não houve sequer um debate, um diálogo aberto entre o governo do e as lideranças regionais”, explicou Adalberto dos Santos, presidente da Câmara de Taquara.

Nas próximas semanas, deverá ser intensificado o trabalho de mobilização, incluindo um abaixo assinado para demonstrar a força da comunidade. Na manhã de sábado, dia 03, autoridades vão estar na Rua Coberta da Praça 1º de Maio para coletar assinaturas.

Também participaram do evento, o vice-prefeito Alex Bora, o diretor geral da Faccat, Delmar Backes, o presidente do Sindicato dos Sapateiros, João Nadir Pires, o presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas, Reginaldo Hessler, e a deputada estadual, Patrícia Alba.

Já entre os vereadores de Parobé, participaram Gilberto Gomes (Republicanos), Nilson Machado (DEM), Betinho (PDT), Maicon Bora (PL), Celso Abreu (PL), Leno Parobé (PDT), Henrique dos Santos (Republicanos), Celso Acougueiro (DEM) e Sergio Padilha (Cidadania).

>> Deixe sua opinião: