Geral
  AEDES AEGYPTI

Vigilância em Saúde de Taquara intensifica visitas para detectar focos do mosquito da dengue

De acordo com a Secretaria de Saúde, Taquara tem registrados 112 casos positivos de dengue, e outros 283 suspeitos.
Foto: Ruan Nascimento/Prefeitura de Taquara

Os agentes de endemias da Vigilância Ambiental de Taquara ampliaram sua área de visitação em residências, com o objetivo de identificar e eliminar focos do mosquito Aedes aegypti, causador da dengue. “Intensificamos a realização da pesquisa vetorial específica, que consiste em localizar focos e coletar larvas para análise. Nosso foco principal está em visitar regiões próximas de pacientes onde há casos suspeitos ou confirmados da doença”, explica a coordenadora da Vigilância Epidemiológica, Andressa Martins.



Nos últimos dias, os bairros que receberam visitas dos agentes de endemias foram: Empresa, Nossa Senhora de Fátima, Santa Teresinha, Tucanos, Santa Maria, Jardim do Prado, Centro, Petrópolis, Santa Rosa e Mundo Novo. “Não podemos nos descuidar e deixar a água acumular em pratos, potes, pneus e garrafas. A dengue é uma doença muito perigosa. Todos precisamos fazer a nossa parte no combate ao mosquito”, destaca a prefeita Sirlei Silveira.

Canal de denúncias

Andressa lembra que a mobilização dos moradores é fundamental para que seja reduzida a incidência do Aedes aegypti no Município, reforçando que a Secretaria de Saúde deve ser acionada quando o foco do mosquito é detectado e não pode ser eliminado pela população, como em terrenos baldios ou quando há lixo acumulado na rua. Neste caso, a comunidade deve entrar em contato com o canal de denúncias da Vigilância Ambiental, através do telefone (51) 3541-9322. 

Situação da dengue no Município

De acordo com a Secretaria de Saúde, Taquara tem registrados 112 casos positivos de dengue, e outros 283 suspeitos até esta quarta-feira (18). Além da busca por focos, é realizada também a aplicação de inseticida em algumas regiões. Essas ações são estabelecidas nas reuniões periódicas do Comitê Municipal Intersetorial de Controle e Combate à Dengue, Zika Vírus e Chikungunya, composto por representantes das secretarias de Educação, de Saúde, de Meio Ambiente, de Desenvolvimento Social, do Conselho Municipal de Saúde, do Hospital Bom Jesus e da Comunicação Social.